BitcoinCriptoativosEconomia

Bitcoin (BTC) e ações estão prontos para voltar a subir, afirma Raoul Pal

O ex-executivo do Goldman Sachs, Raoul Pal, afirmou que os ativos de risco, como criptomoedas e ações, devem entrar em território de alta à medida que as condições macroeconômicas se tornam mais favoráveis.

Em uma nova edição do boletim Global Macro Investor, Pal diz que o Bitcoin é impulsionado principalmente pela oferta de dinheiro disponível (Global M2) no sistema financeiro em todo o mundo.

“Paul Tudor Jones disse uma vez, quando as torneiras do dinheiro estão de volta, você quer apostar no cavalo mais rápido. No caso de 2020/2021 ele se referia ao Bitcoin. Desta vez, será cripto em geral…

Aqui está um gráfico de BTC vs Global M2. Notou algo estranho? Sim, não podemos escalar o topo do gráfico porque quando o M2 sobe consideravelmente, o Bitcoin fica EXPONENCIAL.”

Embora muitos investidores estejam preocupados com as taxas de juros relativamente altas e a probabilidade de que elas subam no futuro, Pal afirmou que não é um problema tão grande quanto a maioria acredita.

De acordo com o analista, ativos de risco como ações e criptomoedas ainda podem se beneficiar, mesmo que o Federal Reserve continue a aumentar as taxas de juros.

“Taxas mais altas são uma pista falsa. Muitos vão discordar, mas, a meu ver, é uma narrativa falsa.

O fato é que taxas mais altas não são um obstáculo para a tecnologia ou para o mercado mais amplo, e é por isso que eu realmente não me importo se as taxas permanecerem em, digamos, 3%.

Você já me ouviu dizer isso muitas vezes: é a taxa de variação das taxas que importa, não o nível das taxas. É uma besteira total sugerir que, se as taxas ficarem paradas em 4%, as ações de crescimento, criptomoedas etc. sofrerão infinitamente.

Não é assim que o mundo funciona. Você também pode jogar fora aquela bobagem sobre custo de capital. A adoção da tecnologia é rápida demais para que isso importe.

Considere o caso do Google, produzindo retornos médios anuais de quase 30% sem dívidas. Agora, você acha que o Google se importa se o custo de capital é de 1% ou 5%? Absolutamente não! E nem os investidores…”.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo