Glossário do Bitcoin (BTC)

AML (Anti-Money Laundering): Sigla em inglês para Anti-Lavagem de Dinheiro, e consiste em uma série de exigências regulatórias para que empresas impeçam que seus clientes lavem dinheiro.

Acisc: Dispositivo específico criado para a mineração de Bitcoin.

Baleia: Player do mercado financeiro com muitos ativos sob posse.

Bear Market: Período de baixa do mercado.

Bitcoin (BTC): Moeda digital descentralizada nativa da internet.

Blockchain: Também chamada de Timechain, é a tecnologia desenvolvida por Satoshi Nakamoto para criar o Bitcoin e manter o seu funcionamento e segurança. Trata-se de um livro registro global mantido e atualizado voluntariamente pelos nós da rede.

Bloco Gênesis: É o primeiro bloco da rede Bitcoin minerado por Satoshi Nakamoto em 3 de janeiro de 2009.

Bloco: O bloco é um espaço para que os mineradores adicionem transações e informações na blockchain, que é uma cadeia de blocos criptografados armazenada globalmente de forma voluntária.

Bull Market: Período de alta do mercado.

Capitalização de mercado: É uma métrica calculada pela multiplicação do número total de determinado ativo pelo seu preço, e mede o tamanho daquele mercado.

Carteira de hardware: É um dispositivo físico capaz de criar endereços de Bitcoin e realizar transações.

Carteira de papel: Trata-se de armazenar as chaves privadas de um endereço de Bitcoin em um pedaço de papel.

Carteira fria: É uma carteira de Bitcoin que não possui acesso à internet, inviabilizando hacks e roubos do Bitcoin.

Carteira quente: Carteira conectada à internet que normalmente é utilizada para transferir bitcoin. 

Chave privada: Chave que dá o direito do seu detentor de realizar uma transação na blockchain.

Chave pública: Endereço derivado da chave privada que permite receber fundos.

Consenso Nakamoto: Conjunto de regras básicas estabelecidas pelo criador do Bitcoin no início do protocolo.

Contrato inteligente (smart contract): Contratos de computador autônomos que permitem que pessoas e instituições façam negócios automatizados.

Criptografia: Ramo da matemática que estuda a codificação e decodificação de informações.

Custódia: Prática de armazenar as próprias chaves privadas.

Explorador de blocos: Aplicação ligada a um nó da rede onde é possível verificar todo o histórico de transações da blockchain. Normalmente é utilizada por usuários para verificar se uma transação foi confirmada.

Fee: Taxa da rede paga aos mineradores.

Halving: Evento na rede Bitcoin que reduz pela metade a emissão de novas moedas. O halving ocorre a cada 210 mil blocos, aproximadamente 4 anos.

Hard Fork: Mudança nas regras básicas do protocolo que geram uma nova versão do código.

Holder: Investidor de longo prazo, que se difere do trader.

KYC (Know Your Customer): Sigla em inglês para Conheça Seu Cliente, e consiste em uma série de obrigações regulatórias para que as empresas possuam informações de seus usuários para informar aos governos.

Mineração: Forma na qual a rede Bitcoin gera novos blocos, bem como o consenso sobre o estado final das transações é definido.

Nó: Participante voluntário da rede que decide executar e armazenar o histórico da blockchain do Bitcoin.

Prova de Trabalho (PoW): Algoritmo de consenso da mineração do Bitcoin.

Sardinha: Participante do mercado com poucos ativos.

Satoshi Nakamoto: Criador anonimo do Bitcoin.

Sidechain: Rede de segunda camada do Bitcoin, como Lighting Network, Liquid e RSK.

Soft Fork: Mudança no código que não quebra as regras básicas de consenso e é retrocompatível com outras versões do protocolo.

Stablecoin: Token lastreado normalmente em moeda fiduciária, como Tether (USDT).

Botão Voltar ao topo