Bitcoin

Petroleiras e mineradoras da Rússia estão faturando US$ 79 milhões em BTC por ano

Segundo estudo publicado pela Vygon Consulting, a mineração de Bitcoin com energia proveniente de poços de extração de petróleo na Rússia já é responsável pelo consumo de 85 MW de energia, provenientes de  279 milhões de metros cúbicos de Gás de Petróleo Associado (APG).

A extração de petróleo é responsável pela produção do gás APG, um subproduto da extração da commodity energética. Este gás é normalmente descartado, sendo queimado na atmosfera.

Este procedimento de queima ocorre pois é economicamente inviável construir tubulação para transportar este gás. Desta forma, ou ele é utilizado localmente nas plataformas de extração de petróleo, ou ele será efetivamente jogado fora, causando danos ambientais.

Gás APG sendo queimado.
Gás APG sendo queimado. Fonte: JPT.

Através da mineração de BTC, as petroleiras podem monetizar este recurso que seria efetivamente desperdiçado.

Segundo o relatório, os mineradores da Rússia estão faturando, no estado atual da rede e preço do BTC, US$ 79 milhões por ano.

As mineradoras são responsáveis por monetizar uma pequena fração do gás APG da Rússia. Segundo informado, se 1 terço do subproduto do petróleo russo fosse direcionado para a mineração, o setor deveria aumentar cerca de 25 vezes em capacidade energética.

Sanções ocidentais

No entanto, mineradoras ocidentais operando na Rússia também estão sofrendo com as sanções ao país. A Bitriver, mineradora Suíça operando na Federação Russa, está sofrendo com sanções do Tesouro dos Estados Unidos.

Segundo relatos, o governo dos EUA está preocupado que o Bitcoin possa ser utilizado para ajudar a Rússia a burlar as sanções do ocidente.

Leia mais: Terceira maior petroleira da Rússia vai minerar Bitcoin (BTC)

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo