Economia

Inflação oficial dos EUA atinge máxima de 40 anos

  • Os dados de inflação do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) para o mês de junho subiram para uma alta de 40 anos de 9,1%.
  • Os maiores aumentos de preços ocorreram no setor de energia, com os combustíveis e do petróleo subindo mais de 98%.

O Bureau of Labor Statistics (BLS) divulgou dados de inflação do Índice de Preços ao Consumidor dos EUA (CPI) para o mês de junho, apresentando uma nova alta de 40 anos de 9,1%, enquanto o Bitcoin luta para manter os US$ 19.000.

Os preços do combustível e do petróleo aumentaram mais de 98%, as commodities energéticas 60%, a gasolina 59% e os serviços de gás de utilidade pública aumentaram 38%. 

A eletricidade aumentou 13%, a alimentação 12%, os veículos novos 11% e os custos de transporte aumentaram quase 9%.

Esse ciclo de inflação continua sendo um problema para as instituições, já que o Federal Reserve aumentou as taxas nas últimas reuniões do Federal Open Market Committee (FOMC), porém de maneira superficial. 

À medida que essas taxas continuam a subir, torna-se mais caro contrair dívidas, mas também se torna mais caro pagar dívidas antigas. Esses dois fatores reduzem a demanda devido à falta de liquidez disponível em todo o mercado, o que em casos extremos pode levar a uma recessão se a demanda cair completamente.

Na reunião do FOMC acima mencionada, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que “as subidas continuarão a depender dos dados recebidos, mas um aumento de 50 pontos base ou 75 pontos base parece mais provável para a próxima reunião”.

Mesmo com o aumento das taxas de juros, o juro real pago é ainda negativo. Mesmo com o desincentivo ao investimento no mercado de renda fixa nos Estados Unidos, os mercados de renda variável estão sofrendo com quedas sucessivas.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo