EconomiaFinanças

Tanques de guerra protegem banco de manifestantes na China – veja o vídeo

Tanques de guerra foram vistos em frente ao banco chinês Rizhao, enquanto uma onda de manifestantes protestavam para conseguir sacar o seu dinheiro.

Uma onda de protestos direcionada a bancos e instituições financeiras se iniciou na China nas últimas semanas em meio a uma série de congelamentos bancários, que está evidenciando a falta de liquidez e a possível insolvência das instituições do país.

Alguns protestos foram violentos, com o Partido Chinês direcionando forças policiais e militares para conter as multidões.

Conforme relatado pela mídia local, os bancos que limitaram os saques dos clientes incluem Yuzhou Xinminsheng Village Bank, Shangcai Huimin County Bank, Zhecheng Huanghuai Community Bank e New Oriental Country Bank of Kaifeng.

Tanques de guerra

O vídeo com tanques de guerra em frente ao banco chinês foi publicado no Reddit com a seguinte descrição:

“Enquanto isso na China. Tanques do PCC [Partido Comunista Chinês] nas ruas novamente, desta vez protegendo Bancos (possivelmente Rizhao, província de Shandong). Isso ocorre porque a agência de Henan do Banco da China declara que as economias das pessoas em sua agência agora são ‘produtos de investimento’ e não podem ser sacadas“.

Uma longa fila de pelo menos 10 tanques pode ser observada no vídeo.

A história se repete

Massacre da Paz Celestial
Massacre da Paz Celestial

Os usuários do Reddit estão comparando a situação com o protesto que ficou conhecido como Massacre da Praça da Paz Celestial, de 1989, quando tanques de guerra foram enviados para conter protestos que pediam por democracia na China.

“A história se repete”, comentou um redditor. 

“Eu me pergunto o que aconteceria se os operadores de tanques não pudessem sacar seu dinheiro também”, comentou outro indivíduo.

Algumas estimativas apontam que cerca de  40 bilhões de yuans, cerca de R$ 32 bilhões, estão congelados nos bancos ilíquidos.

Não há certeza ainda se os bloqueios dos bancos estão ligados com os recentes calotes de imobiliárias chinesas, como a China Evergrande.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo