BitcoinEconomiaMundo

Governo Biden ameaça banir a mineração e o Bitcoin

O governo Biden publicou recentemente um estudo realizado pelo Escritório de Política Científica e Tecnológica da Casa Branca sobre a mineração de Bitcoin e criptoativos e seus supostos impactos ambientais.

O texto detalha que as mineradoras devem reduzir a sua emissão de carbono com a ajuda da Agência de Proteção Ambiental (EPA), do Departamento de Energia (DOE) e outras agências federais.

O estudo ressalta que, caso a atividade não reduza o seu suposto impacto ambiental, os reguladores podem restringir ou mesmo banir a mineração ou mesmo o próprio Bitcoin nos Estados Unidos.

“Caso essas medidas se mostrem ineficazes na redução de impactos, o governo deve explorar ações executivas e o Congresso pode considerar uma legislação para limitar ou eliminar o uso de mecanismos de consenso de alta intensidade energética para mineração de criptoativos”, disse o relatório.

O governo deverá ainda promover o “uso de tecnologias de criptoativos ambientalmente responsáveis”. O texto mencionou também o Ethereum, que está mudando o seu algoritmo baseado em Prova de Trabalho.

“Tem havido pedidos crescentes para que blockchains [de prova de trabalho] adotem mecanismos de consenso menos intensivos em energia. A reação mais proeminente foi o lançamento prometido pela Ethereum do ‘Ethereum 2.0’, que usa um mecanismo de consenso [de prova de participação].”

O estudo desconsidera os benefícios da mineração na monetização de energia ociosa e desperdiçada. Como relatamos em uma série de artigos na nossa seção de mineração, o Bitcoin está sendo utilizado por petroleiras para monetizar o flare gás, que é efetivamente queimado na atmosfera.

Certas operações de mineração possuem emissão de carbono negativa, impedindo que certos resíduos da indústria de petróleo e gás sejam queimados na atmosfera.

Caso o governo dos EUA reprima o uso do Bitcoin, isto certamente será contestado judicialmente. Há décadas, o entendimento da Suprema Corte dos EUA é de que o uso e disponibilização de softwares livres se enquadra como liberdade de expressão, que é garantido pela primeira emenda da constituição.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo