BitcoinCriptoativosEconomiaMundo

Apesar da proibição, China é o 10º na adoção do criptomercado, aponta relatório

A empresa de análise de blockchain Chainalysis lançou seu Índice Global de Adoção de Criptomoedas de 2022, detalhando o uso global de bitcoin e dos criptoativos em países ao redor do mundo.

As informações mais impressionantes do relatório mostram que, apesar da proibição do ano passado, a China voltou a se classificar entre os 10 principais países do mundo em adoção do setor.

Confira os 10 primeiros países do ranking:

Cinco índices separados fornecem cumulativamente a pontuação geral do índice de cada país, e os índices permitem um cálculo ponderado com base na porcentagem da receita gasta para adquirir bitcoin e criptomoedas.

Assim, um país com o maior volume acumulado não será classificado como o de maior classificação para adoção, pois provavelmente representa uma parcela menor da renda total da população.

Além disso, um país pode ter grandes quantidades de acumulação, mas raramente participa da transferência de valor ponto a ponto (P2P), o que pode diminuir a classificação de um país. Esse é o caso da Índia, que ocupa o primeiro lugar em todas as métricas, exceto nas transferências P2P, que levaram o país a ocupar o quarto lugar globalmente.

Portanto, contabilizar o uso de bitcoin e criptomoedas por um país não apenas como reserva de valor, mas como meio de troca, mostra um quadro mais completo em relação à adoção. Isso também explica os mercados emergentes que compõem a maior parte da lista, pois participam de mais transações P2P.

O relatório concluiu detalhando como a adoção ainda está bem acima dos níveis de mercado em alta de 2020.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo