Criptoativos

NFTs não são armazenados em blockchain

Se você acompanhou o criptomercado ou a cultura pop nos últimos dois anos, provavelmente teve que escutar inúmeras vezes sobre os Tokens Não Fungíveis (NFTs). Mas afinal, do que se trata esta tecnologia? E por que os NFTs não são armazenados em blockchain?

O que é um NFT?

Um NFT é um token (criptoativo) sem fungibilidade que pode ser enviado de pessoa para pessoa por meio de alguma rede.

Por exemplo, o ouro é um ativo altamente fungível, visto que 1 Oz de ouro é facilmente substituível por outra Oz de ouro. No sentido oposto, colecionáveis, obras de arte e semelhantes são bens não fungíveis, visto que não são facilmente substituíveis por outro de mesma natureza.

Apesar da recente popularização do termo, os NFTs já existem há várias décadas, mesmo antes da criação do Bitcoin. Uma skin de RPG ou arma de um jogo que pode ser enviada ou vendida a outro usuário é um Token Não Fungível por definição.

NFTs na blockchain – faz sentido?

Algo que se tem observado como muito comum neste nicho do mercado, é a ideia de que os NFTs estão de alguma forma armazenados nas redes blockchain. Mas isso não é verdade, pelo menos não no que se refere à colecionáveis digitais.

Redes blockchain são soluções com hiper-redundância e altíssimo custo. O espaço de armazenamento de blockchains é extremamente limitado e caro, impossibilitando o armazenamento de imagens, vídeos ou músicas.

Para comparação, a timechain do BTC possui uma limitação de 1MB por bloco, e a rede do Ethereum possui uma limitação de 4 MB. Este espaço é menor do que uma foto tirada em um celular comum.

Armazenar uma imagem na blockchain custaria provavelmente dezenas ou centenas de milhares de dólares.

Onde os NFTs são armazenados?

Os NFTs nada mais são que um link registrado em uma blockchain. Este link aponta para o servidor onde o colecionável digital está armazenado.

Essa característica faz com que os NFTs não sejam de fato resistentes à censura, podendo o colecionável ser apagado, substituído ou mesmo o servidor ficar fora do ar.

Sua aplicação para jogos e outras áreas também é muito superestimada, visto que os NFTs já fazem parte deste mercado há décadas e podem ser executados em serviços centralizados de forma mais barata, rápida e eficiente. Descentralização não é a melhor solução para tudo.

Além disso, o valor social de NFTs para jogos dependerá ainda de um intermediário centralizado, que é a empresa criadora do jogo, que se compromete a dar validade para o seu ativo no game, que pode também ser descontinuado, como muitos já foram.

Apesar das inúmeras narrativas que a blockchain (ou timechain) resolverá grandes problemas para a humanidade, a tecnologia se mostrou altamente útil para dois propósitos muito específicos: (i) fornecer ao mundo um dinheiro nativo da internet que é o Bitcoin e (ii) permitir a emissão de equity tokens, como o USDT e ativos similares.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo