CriptoativosFinanças

Ex-funcionário da Coinbase é preso por fazer trades com informações privilegiadas

Ishan Wahi, ex-gerente de produto da exchange de criptoativos Coinbase, foi preso esta manhã por um esquema de negociação com informações privilegiadas durante seu tempo na empresa, segundo um comunicado do Departamento de Justiça.

Ishan trabalhou em conjunto com seu irmão Nikhil Wahi e Sameer Ramini para cometer “conspiração fraudulenta e fraude eletrônica em conexão com um esquema para cometer negociações privilegiadas em ativos de criptomoedas usando informações confidenciais da Coinbase […], ” de acordo com o comunicado.

Isso marca a primeira prisão devido a um insider trading dentro do ecossistema de criptomoedas. O procurador dos EUA Damian Williams comentou o caso:

“As acusações de hoje são mais um lembrete de que a Web3 não é uma zona livre de leis. No mês passado, anunciei o primeiro caso de negociação de informações privilegiadas envolvendo NFTs e hoje anuncio o primeiro caso de negociação de informações privilegiadas envolvendo mercados de criptomoedas.”

Williams continuou dizendo: 

“Nossa mensagem com essas acusações é clara: fraude é fraude, seja no blockchain ou em Wall Street”.

Nikhil também foi preso esta manhã junto com Ishan, mas Ramini continua foragido. Williams encerrou sua declaração detalhando a busca do Departamento de Justiça para fechar o caso:

“E o Distrito Sul de Nova York continuará implacável em levar os fraudadores à justiça, onde quer que os encontremos”, disse Williams.

Michael Driscoll, diretor assistente do Federal Bureau of Investigation (FBI), explicou que os réus geraram ganhos ilícitos totalizando mais de US$ 1,5 milhão, aproveitando informações privilegiadas para negociar pelo menos 25 criptoativos diferentes.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo