BitcoinCriptoativosMundo

Homem é preso por minerar Bitcoin em hospital na Rússia

Homem é preso por minerar Bitcoin ilegalmente em um centro médico na Rússia. Por mais de 1 ano, o indivíduo minerou criptoativos com eletricidade roubada. 

Sabendo que uma das maiores barreiras para alcançar lucratividade na atividade da mineração de Bitcoin é o custo da eletricidade, a busca pela eletricidade barata ou até mesmo gratuita é muito comum entre os mineradores. Porém, em alguns casos, a busca não ocorre do modo mais ético possível e a energia roubada é utilizada.

Foi o que ocorreu em um hospital em Gorno-Altaisk, no sul da Sibéria, onde um funcionário de TI, especialista em segurança da informação, montou uma fazenda de mineração que o mesmo administrava desde o início de 2021. O consumo do equipamento gerou um prejuízo de aproximadamente US$7000, de acordo com a FSB (Serviço Federal de Segurança).

No mês de fevereiro de 2021, o funcionário instalou os hardwares de mineração e os conectou ao servidor do hospital, de acordo com o Ministério da Administração Interna. 

O objetivo buscado pelo funcionário ao minerar, assim como o de muitos russos, é de superar algumas dificuldades financeiras. Não conseguindo a energia e poder de processamento suficientes em sua residência, o homem decidiu montar os dispositivos em seu local de trabalho.

O Serviço Federal de Segurança da Rússia apreendeu todo equipamento utilizado para mineração na casa do suspeito, que agora pode pegar até dois anos de prisão sob o Código Penal russo.

É importante lembrar que o caso não é isolado, já que a atividade mineração se tornou uma alternativa para os russos, que ocupam desde porões, garagens até instituições públicas para montar suas mineradoras. Áreas como a região de Irkutsk, na Sibéria, onde a eletricidade é subsidiada pelo governo e as temperaturas são baixas, oferecem um grande atrativo para os mineradores.

Há alguns casos que chamam atenção. Em um deles 1500 ASICs de mineração usados num fazenda ilegal foram apreendidos na região do Daguestão, utilizando a energia de uma estação de bombeamento de água, ocorrido em maio. Um outro caso curioso, foi quando o vice-diretor de uma prisão em Butyrka montou uma fazenda de mineração no presídio.

Mesmo o país possuindo um clima frio e sendo bem servido de recursos energéticos, a atividade de mineração ainda não foi regulamentada. Além disso, o governo tomou medidas como o aumento da tarifa elétrica para os mineradores, uma vez que boa parte da eletricidade do país é subsidiada. 

Todavia, já há iniciativas de larga escala de destaque no país, como da petroleira Gazpromneft, que começou a minerar bitcoin em parceria com a Bitriver utilizando energia que seria desperdiçada na operação.

Igor Sobrinho

Calvinista, capixaba, amante de artes, de comunicação e da computação. Cypherpunk e bitcoinheiro, passeio com meu cachorro nas horas vagas, amo minha esposa.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo