BitcoinEconomiaFinanças

Fiuza Bitcoin explica como Brasil pode reduzir custo da eletricidade através da mineração

Fiuza Bitcoin, candidato a deputado federal por São Paulo, participou recentemente de uma live no instagram do Criptonizando. Durante a conversa, o candidato ressaltou como a mineração de Bitcoin (BTC) pode potencialmente reduzir os custos da eletricidade no Brasil.

Fiuza destacou a importância da mineração para a monetização de recursos energéticos excedentes:

“O Brasil é um dos países mais verdes em geração de energia, e isso é muito bom. Só que geração de energia, por exemplo, quando é verde, ela não consegue ter a mesma produção na demanda, ela tem que ter uma produção mais excedente […]

Como nós temos que ter um parque de energia um pouco maior do que a demanda, e a demanda que eu falo é a demanda no pico, no momento mais crítico do dia, o bitcoin poderia ser minerado aqui no Brasil, enquanto essas usinas estiverem ociosas.

Isso poderia baratear muito o custo de produção de energia no país. E nesse aspecto o governo pode ajudar, ou atrapalhar menos.”

Uma grande parcela da energia produzida no mundo é atualmente desperdiçada ou subutilizada devido a questões inerentes do setor.

Já hoje, várias usinas elétricas de grande porte, como no Texas, utilizam a mineração como um balizador do grid elétrico, que consome eletricidade em momentos de baixa demanda, e libera a rede em momentos de pico.

Por fim, o candidato do Novo destacou que a mineração pode ser também uma solução para o agronegócio brasileiro, de modo a aproveitar o gás metano proveniente da criação de gado:

“Então qualquer fonte de energia, seja eólica, hídrica, seja a produção do gás metano, em fazendas, por exemplo, como esterco de vaca, que é um problema que tem se falado muito ultimamente, com relação ao meio ambiente, pode ser interessante sim a produção do Bitcoin.”

Leia mais:

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo