BitcoinCriptoativosEconomia

Governo da Argentina estima inflação em 95% – Bitcoin e stablecoins se destacam

Os dados do Índice de Preço ao Consumidor (IPC), métrica que estima a inflação anual, foram divulgados pelo governo da Argentina. O IPC atingiu a expressiva marca de 78,5% no acumulado de 2021 até o momento, a maior dos últimos 30 anos.

No entanto, ainda assim o governo estima uma inflação de 95% para 2022 e 60% para 2023. Com estes dados, a inflação na Argentina perde apenas para a da Venezuela na América Latina.

A moeda argentina vem passando por um forte processo de desvalorização nos últimos anos. O peso argentino perdeu cerca de 99,4% em relação ao dólar americano nos últimos 20 anos.

Bitcoin e stablecoins na Argentina

A constante desvalorização do peso está fazendo a adoção do Bitcoin e de stablecoins acelerarem na Argentina. Uma pesquisa realizada pela exchange Bitso determinou que cerca de 83% dos argentinos conhecem os criptoativos.

Do total, 10% dos entrevistados afirmaram que possuem ou já possuíram algum criptoativo. Cerca de 23% dos entrevistados afirmaram que pretendem se expor à classe de ativos.

A adoção do bitcoin e de formas de dinheiro alternativas, como criptoativos lastreados em dólares, tende a acentuar ainda mais o processo de deterioração da moeda argentina. Em última análise, o BTC tem o potencial de desmonetizar o peso, à medida que mais pessoas adotam o criptoativo.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo