Criptoativos

Polícia das Bahamas está investigando a FTX e seus executivos

A Comissão de Valores Mobiliários das Bahamas, onde a FTX está sediada, já congelou os ativos da bolsa na última quinta-feira e pediu por um liquidante para iniciar o processo de falência.

Agora, a força policial local está envolvida.

Na manhã de domingo, a Força Policial Real das Bahamas (RBPF) enviou esta declaração à mídia:

“À luz do colapso da FTX globalmente e da liquidação provisória da FTX Digital Markets Ltd., uma equipe de investigadores financeiros do Financial Crimes Investigation Branch está trabalhando em estreita colaboração com a Comissão de Valores Mobiliários das Bahamas para investigar se ocorreu alguma má conduta criminal.”

Um porta-voz da RBPF não disse ao Decrypt se a nova investigação é uma resposta direta aos eventos da noite de sexta-feira, quando mais de US$ 650 milhões em fundos deixaram a FTX em transferências “não autorizadas”, segundo funcionários.

A FTX mudou sua sede em setembro passado de Hong Kong para as Bahamas, uma região mais amigável às criptomoedas.

Bankman-Fried disse na época que o paraíso fiscal caribenho tinha mais clareza regulatória do que a cidade asiática e era um local melhor para fazer negócios.

As Bahamas receberam empresas de criptomoedas e, em 2020, se tornaram um dos primeiros países a lançar sua própria Moeda Digital do Banco Central (CBDC).

Bankman-Fried mora na ilha, e disse à Reuters no sábado que ainda está lá, refutando rumores no Twitter de que ele estava em um avião para a Argentina.

Ele foi interrogado pela polícia das Bahamas na noite de sábado, informou a Bloomberg.

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo