BitcoinEconomiaFinançasMundo

Real Digital trará o “absolutismo financeiro”, afirma Fiuza Bitcoin

Fiuza Bitcoin, candidato a deputado federal por São Paulo, compartilhou recentemente comentários com o Boletim BTC sobre o Real Digital, que ele descreveu como a base para um “absolutismo financeiro”.

Nos últimos anos, os bancos centrais e governos de todo o mundo têm se empenhado no desenvolvimento das CBDCs, versões completamente digitais das moedas fiduciárias. A China é o país mais avançado neste setor, com o yuan digital já em circulação no gigante asiático.

Por sua vez, o Banco Central do Brasil vem avançando em ritmo acelerado no desenvolvimento do real digital, a CBDC do governo brasileiro.

Conforme destacado por Fiuza, o desenvolvimento das CBDCs dará aos governos o poder de vigiar e controlar a economia privada como nunca antes:

“Será terrível, com razões suficientes para recomendar evitarmos a qualquer custo a sua adoção. Todo celular tem GPS, ou seja, o BC irá saber exatamente quando, quanto e onde gastamos cada centavo.

Todo celular tem um relógio embutido. O BC poderá determinar quando, quanto e onde podemos gastar nosso dinheiro e poderá, ainda, determinar um prazo de validade para o nosso dinheiro, acelerando ainda mais a preferência temporal, aquela vontade de gastar tudo que temos o mais rápido possível, trauma que ainda carregamos dos tempos de hiperinflação.”

O governo também ampliará os seus poderes de realizar confiscos e expropriações, movimento que já se acentuou com a chegada do pix:

“[…] O BC poderá a qualquer momento confiscar nosso dinheiro em milésimos de segundo. Ok. Já faz mais de 32 anos que não se faz mais isso por aqui, mas o trauma foi grande e literalmente nem todos sobreviveram.”

Além disso, o real digital não resolverá o grave problema da inflação, uma das questões mais fundamentais das moedas fiduciárias:

“O Real Digital não resolve o mais grave problema do Real em papel […], não é um bem escasso, condição precípua de toda moeda. Vale dizer, a inflação continua sem solução e o nefasto efeito Cantillon se mantém presente apesar de toda tecnologia.

Fiuza apontou que o real digital proporcionará um “absolutismo financeiro” sem precedentes, e que isto está sendo pouco discutido atualmente:

“É curioso também, desta vez triste, porém, como a sociedade tem sido apática com as poucas notícias dos CBDCs ou do Real Digital. Não vejo críticas ao severo cerceamento de nossas liberdades individuais, ou à armadilha que se tem preparado ao povo ou ao absolutismo financeiro que está por vir, como se fosse legítimo ao estado controlar nosso patrimônio, nosso sistema financeiro, nossas vidas em última análise.”

Fiuza Bitcoin tem como sua principal pauta o Bitcoin, a maior rede monetária descentralizada do mundo, e que está removendo progressivamente o poder de emissão do dinheiro do governo.

Leia mais: Fiuza Bitcoin: candidato do Novo quer tornar Brasil centro para o Bitcoin

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo