BitcoinCriptoativosEconomia

Emílio Surita pode ter perdido milhares de bitcoins de 2010; “nem sei onde tá”

Emílio Surita, radialista e apresentador do Programa Pânico, foi também uma das primeiras pessoas a se expor ao bitcoin no Brasil, seguindo os conselhos de Daniel Zukerman, muito conhecido pelo quadro O Impostor.

Conforme relatado em uma série de ocasiões, Emílio e Zukerman começaram a comprar bitcoin ainda em 2009 ou 2010, segundo relatado por eles mesmos em programas e entrevistas.

Na matéria: Emílio Surita: o Barão do Bitcoin (BTC) brasileiro, estimamos de quanto pode ser a cripto-fortuna dos radialistas com base no preço de negociação do bitcoin de 2010, que possuía uma fração mínima da precificação atual.

“Cantei a bola em 2009”, disse Zukerman durante entrevista no Flow Podcast.

No artigo, estimamos que alguém que tenha aportado alguma quantia pequena naquela época, como o valor de uma pizza, seria o suficiente para acumular milhares de bitcoins.

Bitcoins perdidos?

Mais recentemente, Emílio Surita sugeriu durante um programa que poderia ter perdido os seus bitcoins, ou que simplesmente não gastou tempo para procurá-los. Veja o vídeo no final do texto.

Durante um comercial do Zro Bank no Programa Pânico, um banco digital integrado ao mercado cripto-ativos, Emílio afirmou:

“Meu bitcoin é antigo, daquela época. Nem sei onde tá, nem sei onde tá, 2010”.

Ao que Zukerman respondeu:

“A gente comprou a 100 dólares, foi em 2010, puxa lá”.

No entanto, há uma contradição nas falas dos apresentadores. A primeira vez que o bitcoin alcançou 100 dólares foi em 2013. Logo, é possível que eles não tenham acumulado de fato milhares de bitcoins como estimado em nossa matéria anterior.

Ainda assim, este certamente foi um investimento com um alto retorno para os apresentadores.

É necessário destacar a importância de guardar bitcoins com segurança quando se opta por realizar a auto-custódia. Perder o acesso às chaves privadas de um endereço com saldo pode ser uma tragédia financeira para muitas pessoas.

Dessa forma, busque por soluções que tragam maior segurança para o seu tesouro digital, como carteiras com múltiplas assinaturas, endereços com passphrase, distribuição geográfica das chaves e criação de endereços e realização de transações offline.

Leia mais: Bitcoin (BTC) é o primeiro dinheiro memorizável da história

João Souza

Chefe de conteúdo, analista de SEO e empreendedor. [email protected]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo